Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

domingo, 18 de dezembro de 2016

Guerra entre facções deixa quase 150 jovens mortos neste ano; velório e sepultamento são bancados pelo poder público

A disputa entre as facções criminosas para comandar o território para tráfico de entorpecentes no Acre tem tirado a vida de muitos jovens. No segundo semestre deste ano, a população acreana tem assistido a cenas bárbaras de execuções, tentativa de invasão em presídios, liberação de presos para não serem mortos, incêndios a órgãos públicos entre outros episódios até, então, atípicos para um estado com apenas 816.687 habitantes.

Entre os meses de janeiro a novembro de 2016, dados da Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp) apontam que morreram 119 jovens entre 18 e 29 anos no estado. Em média, são mais de 10 mortes por mês. A maioria das mortes desses jovens tem ligação com o mundo do crime.

Como a maioria dos jovens assassinados também é de baixa renda, onde a família possui cadastro em programas sociais, todo o custo de velório e sepultamento é bancado pelo poder público. O valor chega, em média, R$ 1 mil.
Ainda segundo o levantamento da Sesp, foram registrados 60 casos de homicídios neste ano, entre jovens com 18 e 24 anos de idade e 59 vítimas com idades entre 25 e 29 anos foram mortas nos dez primeiros meses do ano.

Um dos casos mais bárbaro ocorreu em outubro quando a polícia encontrou uma cabeça decapitada às margens da rua do bairro Eldorado. Recentemente dois jovens foram decapitados. Segundo os autores, os jovens haviam traído a facção. Toda a ação foi gravada e vídeos foram compartilhados nas redes sociais.

O judiciário acreano chegou a solicitar do Supremo Tribunal Federal (STF) 200 homens da Força Nacional para ajudar a combater o crime, porém, o pedido ainda não foi deferido pelo Ministério da Justiça.

Da redação ac24horas 18/12/2016 08:00:22

Nenhum comentário: