Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

Noticias da terrinha de TK

Sexta-feira (15) de Novembro de 2017, Dia amanheceu já prometendo muita chuva nas próximas horas. Bom feriado a todos.

sexta-feira, 10 de março de 2017

QUEREM ACABAR COM A PREVIDÊNCIA. QUEREM ACABAR COM NOSSOS DIREITOS

O presidente Michel Temer tem atacado os direitos previdenciários e trabalhistas diariamente. Na primeira semana, ele acabou com o Ministério da Previdência Social e os serviços foram desmembrados entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o Ministério da Fazenda.

O que você tem a ver com essa luta?

Desvinculação de benefícios previdenciários - A Reforma da Previdência quer implantar a criação de um salário de referência para aposentadorias e demais benefícios pagos pelo INSS sem vínculo com o reajuste do salário mínimo. Com isso, o seu benefício será achatado e ficará desvalorizado frente ao salário, sem falar que o valor também poderá ser congelado.

Adoção da idade mínima para a aposentadoria – Se aprovada, a idade mínima para aposentadoria passará a ser de 65 anos para homens e mulheres. A ideia é forçar as pessoas a passar mais tempo trabalhando e contribuindo para a previdência. Significa também que muita gente pode morrer (antes dos 65) sem receber o benefício. 
Vamos pensar nas mulheres, que têm ainda no Brasil o direito de ter cinco anos de tempo de contribuição e idade para se aposentar um pouco antes. Isso porque elas trabalham acumulando duplas, às vezes triplas jornadas de trabalho, muito mais tempo que os homens. Pegando dados da Pnad, os homens trabalham em média, no trabalho doméstico, dez horas por semana, e as mulheres, 21 horas e 35 minutos, o que é feito invisivelmente, que quase ninguém enxerga.

Além disso, existe uma segregação ocupacional muito grave. Vamos pensar no caso das mulheres negras. A gente sabe, infelizmente, que nessa pirâmide de ocupação dos postos de trabalho as mulheres negras estão nas posições de trabalho mais precário, como no trabalho doméstico, que foi a última categoria de trabalhador a ser reconhecida na integralidade dos seus direitos com a PEC das domésticas há dois anos.

Agrava-se a situação das mulheres rurais também. Se as mulheres urbanas trabalham essa quantidade que mencionei, 21 horas e 35 minutos por semana com trabalho doméstico, isso chega a 29 horas no mundo rural, onde essa discussão sobre divisão de trabalho às vezes nem existe, sequer está colocada. E é um trabalho árduo, debaixo do sol.Dia 15 de Maio: #VemPraRuaTarauacá8.

Nenhum comentário: