joaoregotk@hotmail.com

quarta-feira, 22 de março de 2017

DESABAFO: "NUNCA ME SENTI TÃO PÉSSIMO":


@Kbym

“Respeito e tolerância: duas palavrinhas que quando bem vividas em relação ao próximo, fazem um bem danado e são ótimas maneiras de manter bons relacionamentos”

Já passei por muita coisa nessa vida. Perdas irreparáveis e situações vexatórias que nunca guardei rancores por situações adversas à minha vida. Nunca sofri constrangimento ou até mesmo situações adversas no meu trabalho. Por parte de ninguém até hoje. No entanto, presenciei um fato lamentável que jamais pensaria que iria presenciar se tratando de uma pessoa pública e que deveria ser exemplo de tratamento à pessoa. Sim, a ASSISTÊNCIA SOCIAL dar assistência ao povo mais carente. Isso não é favor, é direito do cidadão.

Já haviam me “falado”, mas custei acreditar. Em mais de 4.0 de vida, nunca fui tão "humilhado" e me senti tão “pequeno” quanto ao tratamento dado a uma pessoa carinhosa, meiga e que só têm elogios desempenhando sua função no seu setor de trabalho. Sim, ela sofreu uma “violência sem igual!!! Conheço sua família há muito tempo, e ao vê-la com os olhos cheios de lágrimas, me retirei do ambiente (sala) para não retribuir as "grosserias" praticada por àquela Agente pública à funcionária. A outra funcionária "agredida verbalmente" já pediu devolução para outro setor.

Presenciar estes fatos e simplesmente ignorar ou ser cúmplice deste tipo de comportamento representa o descaso para com o agredido (conhecendo-a desde criança) e para consigo mesmo (Representante de entidades como Presidente de Conselhos de Tarauacá), pois estará reconhecendo tal assédio como normal e aprovando que amanhã a vítima possa ser você. 

Quanto ao fato que presenciei hoje?. Me senti impotente diante da situação!!! Perdi muitas lágrimas com a partida de meu pai, mas ao chegar em casa, não consegui segurar e meu coração falou mais alto. Não conseguirei dormir tranqüilo. Quem deveria dar a maior atenção, amor e carinho ao Público, simplesmente a desrespeitou, diante de várias pessoas. Demonstrou desprezo, rancor, raiva, ignorância, agressividade com a funcionária que estava apenas trabalhando e nada mais.. Triste fato!!! Fico me perguntando: Se foi capaz de fazer isso com uma "companheira de trabalho”, alguém que estar todos os dias próximo... Imagina só o que não faria com um anônimo? Alguém da zona rural e desprovido de conhecimentos e direitos?

"Pessoas sensatas e equilibradas conseguem conviver com opiniões diferentes, com decisões do chefe ou da empresa que não são as ideais em sua concepção e nem por isso, xingam ou desmerecem as atitudes dos outros. Isso é violentar os direitos constitucionais do cidadão".

Respeito é bom. O respeito às pessoas, às suas condições de vida social e financeira e acreditar que podem melhorar por meio da educação, treinamento e capacitação é a melhor forma também de conquistar reciprocidade a este respeito. Somos pessoas e representantes do povo em comum.

Se tratar dessa forma o Presidente do CMAS (Conselho de Assistência Social). Aquele que lhe é companheiro e fiscalizador do bem público imagina os outros!!! . Comunicarei o fato ocorrido à nossa Gestora (Prefeita) que jamais compartilha com esse tipo de ação e violência no trabalho, seja lá com quem for. Espero que tome as devidas providências cabíveis para o caso. Não podemos compartilhar e sair por aí ofendendo as pessoas em qualquer repartição pública de trabalho.

Represento sim, o Conselho Municipal de Assistência Social - CMAS é o órgão que reúne representantes do governo e da sociedade civil para discutir, estabelecer normas e fiscalizar a prestação de serviços sociais públicos e privados no Município de Tarauacá.

Às vezes podemos sim pensar que somos mais capacitados que outras pessoas, mas daí a externar esta conclusão humilhando ou ofendendo verbalmente alguém, é comprovar que estamos enganados em relação a nossa "superioridade". O assédio moral no ambiente de trabalho é caracterizado por várias ações executadas por parte do empregador ou seus prepostos contra o empregado, como violência psicológica, constrangimento, humilhação e perseguição.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos em seu Artigo I diz:

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. Isso não aconteceu hoje.
Postar um comentário