Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

Noticias da terrinha de TK

Sexta-feira (15) de Novembro de 2017, Dia amanheceu já prometendo muita chuva nas próximas horas. Bom feriado a todos.

sábado, 28 de janeiro de 2017

RELATOR NO TSE VAI PROPOR A CASSAÇÃO DE TEMER



A homologação das 77 delações premiadas da Odebrecht – o que deve ocorrer até a terça-feira 21 – podem ser fatais para Michel Temer; isso porque, ato contínuo, o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, irá pedir que as delações que atingem Temer (são pelo menos quatro) sejam anexadas no processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer; além disso, já foram identificadas doações fruto de propina que teriam sido articuladas por Temer e um de seus principais aliados, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que hoje está preso em Curitiba; uma delas, no valor de R$ 1 milhão, foi feita pelo grupo Libra para renovar suas concessões portuárias, após um jantar entre o empresário Gonçalo Torrealba, chefe da empresa, Temer e Cunha


28 DE JANEIRO DE 2017 ÀS 18:59 // RECEBA O 247 NO TELEGRAM

247 – A homologação das delações premiadas da Odebrecht, que deverá ser feita pela presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, até a terça-feira 31 (saiba mais aqui) tem potencial para derrubar Michel Temer.

Isso porque, ato contínuo, o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, irá pedir que as delações que atingem Temer (são pelo menos quatro) sejam anexadas no processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer.

Além disso, já foram identificadas doações fruto de propina que teriam sido articuladas por Temer e um de seus principais aliados, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que hoje está preso em Curitiba.

Uma delas, no valor de R$ 1 milhão, foi feita pelo grupo Libra para renovar suas concessões portuárias, após um jantar entre o empresário Gonçalo Torrealba, chefe da empresa, Temer e Cunha.

Temer irá pedir a separação entre suas contas e as da presidente deposta Dilma Rousseff, mas o ministro Benjamin não acatará esta tese e deve propor a cassação da chapa.

Neste cenário, o Brasil poderá ter eleições indiretas em 2017, com um novo presidente sendo escolhido por um Congresso com mais de 200 parlamentares investigados, ou diretas, caso haja um novo pacto político no País.

Os detalhes da ação no TSE estão em reportagem de Daniel Pereira, na revista Veja deste fim de semana.

Sponsored Links Recomendado para você

Nenhum comentário: