Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Fidelidade na política depende de cargos e outras vantagens pessoais

Infelizmente muitos poucos fazem política com um propósito elevado. Existem duas situações que motivam a maioria daqueles que resolvem se candidatar, a vaidade e a perspectiva de elevação do status social e de ganhos financeiros. Com isso não quero dizer que não existam políticos em sintonia com as aspirações e necessidades da população. Existem, mas ainda são a minoria. Assim achar que um militante, assessor, ou simpatizante é fiel a uma ou outra liderança por “amor à causa” é muito raro. Essa fidelidade depende das vantagens que podem ser obtidas. Em relação as ideologias partidárias ninguém nem sabe do que se trata. Quantos já leram os estatutos programáticos dos seus partidos? Muito poucos. A maioria das principais legendas brasileiras se transformaram em grandes guarda chuvas partidários que abrigam pessoas das mais variadas tendências. E os partidos que chegam ao poder como o PT, o PMDB e o PSDB recebem maiores adeptos conforme o momento em que estão governando. Então quem quiser concorrer aos cargos majoritários no Acre que se prepare para as negociações porque ninguém vai apoiar ninguém pela bela cor dos olhos.

Os dois lados da moeda
O atual Governo do PT aproveitou bem a máquina política para ganhar várias eleições. Sem a distribuição de cargos de confiança em 2014 já teria chegado ao final a sua hegemonia. Mas por outro lado, o ex-prefeito Vagner Sales (PMDB) também venceu seguidas eleições em Cruzeiro do Sul utilizando bem a estrutura política da prefeitura. É assim que a banda toca. Quem está no trono leva vantagem para ter aliados “fiéis”.

Tempo de andanças
A disputa de 2018 deixa todos os pretendentes a cargos majoritários “ligados”. Esses dias pelo Vale do Juruá andaram os deputados federais Flaviano Melo (PMDB) e Major Rocha (PSDB). Visitaram os prefeitos, ofereceram ajuda com emendas parlamentares e fizeram visitas políticas.

No rumo
O senador Gladson Cameli (PP) também tem andado todo o Estado no recesso parlamentar. Esse ano que antecede as eleições é a chave para uma boa campanha. Tudo em cima da hora fica mais complicado.

Caminhão de milho
O deputado Flaviano Melo, se realmente for candidato ao Senado, terá vantagens no Juruá. Tem sido o parlamentar acreano que mais liberou verbas às prefeituras da região, inclusive, em Cruzeiro do Sul. Sem falar que de cinco prefeitos do Juruá, quatro são do PMDB. Não será um candidato “mosca morta” como alguns pensam. Sem falar que mantém uma boa base em Rio Branco, Sena Madureira e no Alto Acre.

 Nelson Liano Jr. -  20/01/2017  06:43:17

Nenhum comentário: