Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

PREFEITO ELEITO DO PSDB DE SÃO PAULO, DORIA JÁ RECUOU EM PELO MENOS 7 PROMESSAS DE CAMPANHA



O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), já recuou em pelo menos sete promessas de campanha; pressão de seu próprio partido, de especialistas e de empresários parece ter bastante efeito sobre o tucano; entre as propostas engavetadas estão o aumento imediato da velocidade nas marginais e a extinção do programa Braços Abertos, criado por Fernando Haddad (PT) para auxiliar dependentes químicos na cracolândia

SP 247 - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), já recuou em pelo menos sete promessas de campanha. A pressão de seu próprio partido, de especialistas e de empresários parece ter bastante efeito sobre o tucano. Entre as propostas engavetadas estão o aumento imediato da velocidade nas marginais e a extinção do programa Braços Abertos, criado por Fernando Haddad (PT) para auxiliar dependentes químicos na cracolândia.

As informações são da Folha de S.Paulo. 

Os sete pontos em que Doria já voltou atrás:

1- Aumento imediato da velocidade nas marginais

Promessa era que os limites na Tietê e na Pinheiros voltariam a ser de 60 km/h na via local, 70 km/h na central e 90 km/h na expressa. Após uma série de ajustes, Doria chegou a uma salada de velocidades, com limites diferentes para determinados trechos e faixas.

2. Extinção da Secretaria das pessoas com deficiência

Estava na lista de pastas com os dias contados, mas Doria voltou atrás após reação negativa –inclusive do próprio PSDB, por meio da deputada federal Mara Gabrilli, que é cadeirante e considerou a decisão 'um retrocesso'.

3. Fim do programa Braços Abertos na cracolândia

Doria disse que acabaria com o programa de Haddad (que dá trabalho e moradia a usuário), e ampliaria o programa estadual Recomeço (de internações). Depois, decidiu acabar com a remuneração em dinheiro, mas manter hospedagem e refeições.

4. Virada Cultural fora centro

O prefeito eleito disse que o evento não seria mais no centro, e sim no autódromo de Interlagos. Um dia depois, o futuro secretário de Cultura, André Sturm, disse que o centro teria atrações, assim como outras regiões, e que o autódromo seria só um dos locais.

5. Fim da fila das creches

Tucano havia prometido zerar no primeiro ano de mandato a fila por vagas em creches, hoje de 133 mil crianças de zero a três anos. Futuro secretário de Educação, Alexandre Schneider, não se comprometeu com a meta.

6. Sem aumento para servidores
Doria afirmou que congelaria o salário de todos os funcionários municipais durante o programa "Roda Viva", da TV Cultura. Um dia depois, porém, voltou atrás e disse que manteria os aumentos já negociados e previstos no orçamento.

7. Corte nos contratos de ônibus

Tucano anunciou um pacote de austeridade em que todos os contratos teriam corte de 15% e disse que, nos ônibus, os cortes ocorreriam sem redução do serviço. Após ser criticado por empresários, afirmou que as viações ficariam de fora do corte.

Nenhum comentário: