Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Ney AMorim e a quebra de um paradigma

Faça a cobertura dos trabalhos da Assembléia Legislativa desde a ARENA e MDB. Não conheço um jornalista com tanto tempo de casa. Não me lembro de um presidente que tenha conseguido aglutinar a oposição e a base do governo em torno de apoio ao seu mandato, ao ponto de tradicional eleição da mesa diretora de fevereiro ser antecipada. O presidente Ney Amorim (PT) conseguiu não só a antecipação da eleição, mas ter todos os vinte e quatro votos dos deputados e ainda manter os demais cargos da mesa de como iniciou a sua gestão. O Ney (foto) fez por merecer porque conduziu a Aleac como um magistrado, deixando rolar sem entraves os debates entre oposição e governistas. É um petista de mente aberta. O que é raro, no Acre. Um dado também tem de ser ressaltado na sua gestão: as comissões parlamentares da Aleac, não deixaram os projetos dormitarem nas gavetas, foram todas ativas, inclusive, na promoção de debates sobre as matérias em pauta. Não foi essa Coca-Cola toda, mas a atual legislatura, com certeza, não foi das piores que passou pelo Legislativo estadual.

Avaliação bem tranqüila
Na Câmara Federal, entre os parlamentares novatos, numa avaliação bem tranqüila dá pára pinçar os deputados federais Major Rocha (PSDB) e Léo de Brito (PT), como os dois que mais se destacaram, na oposição e na base governista. Cada qual no seu quadrado sem serem omissos.

Não chegou ao extremo
Tenho minhas críticas à maioria dos setores do governo Tião Viana, mas não posso deixar de ressaltar como positivo que ele vai virar o ano com os servidores recebendo em dias, quando estados como Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro decretaram falência e não conseguirão pagar dezembro, 13º salário e os aposentados. É um ponto deste governo.

Jamais conseguiria
É de uma sandice deixar de reconhecer que a repatriação de recursos pelo presidente Temer colaborou para que o Acre fechasse suas contas sem dívidas com os funcionários. Não foi favor, concordo. A medida foi gestada no governo Dilma, mas como ela não tinha base parlamentar, jamais aprovaria o pacote. São cerca de 290 milhões de reais para aportar nos falidos cofres estaduais. Isso é um fato. E contra os fatos não existe argumentação tosca.

Luta renhida
O prefeito Marcus Alexandre vem travando uma luta renhida num cenário de crise econômica, para concluir uma de suas maiores obras, o Shopping Popular. Acabou a fase de concretagem da última laje. Agora a briga é em Brasília para conseguir os recursos ao restante da obra.

Porta errada
Não sei se foi por intenção ou não, mas o deputado Raimundinho da Saúde (PTN), não deveria bater na porta e nem criticar o secretário de Saúde, Gemil Junior, sobre as reivindicações dos pacientes renais. Tem de cobrar da direção da FUNDHACRE, com status de secretaria, que é a responsável pelo setor. Como integrante do quadro da Saúde, desconhece as competências?

Preciso bom senso
A principal reivindicação dos pacientes renais, que pode ser justa, a construção de uma unidade específica para atender os doentes fora da FUNDACRE, neste tempo de crise; não vejo como viabilizar, o estado está vendendo almoço para comprar a janta. Precisa bom senso.

Boa escolha
É essencial para um prefeito ter um secretário de comunicação de trânsito livre com a categoria. É essencial à boa divulgação. A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), acertou em escolher para o cargo a experiente jornalista Jane Vasconcelos.

Vamos ver na prática
O vereador eleito Emerson Jarude (PSL) ter escolhido os seus assessores por um processo de seleção não vejo nada de anormal e tampouco de excepcional. O que vai balizar se será ou não um bom vereador serão as posições que vier a assumir na Câmara Municipal de Rio Branco.

Entra em êxtase
Acho que foi hipnotizado na Fazenda “Boi Cagão”. Só pode ser! O deputado Jairo Carvalho (PSD) entra num verdadeiro êxtase, em transe, quando fala no senador Sérgio Petecão (PSD). Já vinha observando há tempos, mas pude constatar ontem numa conversa sobre política.

Sessão de homenagens
A sessão de hoje de encerramento das atividades da Aleac este ano será apenas para a entrega de títulos de “Cidadão Acreano” e homenagens outras que os deputados prestam aos amigos.

Não se justifica
Ontem, quando tudo caminhava no Tribunal de Justiça para um ganho de causa à instalação da “CPI da Venda de Casas”, com o MP a favor e mais dois desembargadores favoráveis, o desembargador Roberto Barros pediu vista e empurrou a decisão para fevereiro. Nada de ilegal. Mas a matéria era tão pacífica, com farta jurisprudência, que não precisava de vista.

Foram eleitos para fiscalizar
Os deputados de oposição não foram eleitos para bater palmas para os atos de quem está no governo. Mas para fiscalizar. E CPI é um dos instrumentos legais e democráticos que possuem.

O problema é o sistema
Sempre disse que Dilma e Temer são irmãos siameses desta crise econômica. Mas pelo menos o Temer está buscando saídas como a PEC do teto de gastos dos estados, para acabar com a farra da gastança e o fim dos governadores posarem de coitadinhos, e buscar resolver o grave problema da Previdência Social. Uma coisa é certa: pior que estava com a Dilma não ficará.

Medida moralizadora
Entre todas as medidas aprovadas no Senado este ano cito a Reforma Política com a criação da cláusula de barreira, para acabar a farra de novos partidos; e a fixação de um teto salarial para todos os poderes, acabando com as distorções salariais. Auxílio moradia, auxílio alimentação e outros tipos de vantagens devem ser vistos como salários, porque integram a renda. A senadora Kátia Abreu (PMDB), Relatora, está certa ao defender este ponto. E conseguir aprovar.

Bola para a Câmara Federal
A matéria da fixação do teto salarial para todos os poderes vai agora para a Câmara Federal. Não é justo ter em todos os poderes pessoas com salários milionários com base em penduricalhos. Se é para moralizar, o corte tem que ser raso e indistinto.

Tremenda falta de cortesia
O prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PT), se recusou a fazer a transição com a equipe da prefeita eleita Marilete Vitorino (PSD). Além de imaturidade é falta de cortesia. E também porque a partir de janeiro será a prefeita e terá todos os dados da prefeitura em suas mãos.

Pagando na mesma moeda
O voto contrário aos projetos enviados pelo governo à Aleac pelo deputado Josa da Farmácia (PTN) não deve ser visto como uma rebeldia sem causa. A grande falta de respeito do PT com a sua candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul, alguém com um mínimo de vergonha faria o mesmo.

Não sei o que ganha
O senador Gladson Cameli (PP) vira e mexe está discutindo na rede social com os críticos das suas escolhas para cargos federais, no Acre. Deveria ser menos emocional se pretende ser candidato ao governador. Candidatura majoritária se cisca para dentro. Desaprendeu?

Cabo-eleitoral
Quando tocam na nomeação do ex-deputado federal Taumaturgo Filho (PT) para a Delegacia do Ministério do Trabalho, o senador Gladson Cameli (PP) justifica: “trabalhou pela minha candidatura ao Senado”.

Presente de natal
A cervejinha nossa do fim de semana ficou mais cara, com a aprovação do projeto do governador Tião Viana, ontem na Aleac, aumentando o teto do ICMS para as bebidas.

Pacote de bondade
O presidente Temer deu uma autorização especial aos estados a contraírem um empréstimo na Caixa Econômica Federal, sem a tradicional burocracia. O governo estadual aproveitou o embalo e fez um empréstimo de 155 milhões de reais, subindo ainda mais a dívida estadual.

Defendo prioridades
Não sou nenhum xiita contra que um governo faça empréstimos. Só faz empréstimo quem tem crédito. O que defendo é que os valores sejam aplicados em prioridades para se justificarem.

Quem melhor se articula
O PDT cresceu depois que o Luiz Tchê deixou o mandato. É quem melhor está se articulando para a formação de chapas de deputado estadual e deputado federal, porque vem trabalhando desde agora. Como o louco do Ciro Gomes será candidato a presidente, precisará de palanque no Acre.

Seria a virada para a paz na cidade
A população e até os políticos de oposição estariam aplaudindo, se estes 155 milhões de empréstimo aprovados ontem na Aleac para o estado fossem todos destinados para aparelhar o sistema de segurança pública e retomar dos bandidos o controle da cidade. Mas apenas uma rebarba irá para o setor penitenciário, o grosso é para pagar dívidas de outros empréstimos. Alguém precisa dizer ao governador Tião Viana (porque os que o cercam só tecem elogios) que, o atual quadro de violência na cidade está atingindo negativamente em cheio a sua imagem. Em qualquer roda vira o assunto principal. Nada me parece tão prioritário neste momento do que tomar medidas duras para que a paz volte a reinar nas ruas, bairros e residências. Chegou a um nível assustador! Sem uma polícia aparelhada não vejo uma luz no fim do túnel. Acho que os policiais civis e militares fazem o máximo com a pouca estrutura.
 Luis Carlos Moreira Jorge

Nenhum comentário: