Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

GOVERNO ESTUDA MEDIDAS PARA EVITAR FALÊNCIA DO ACREPREVIDÊNCIA

Por mês, entram R$ 28 milhões e saem R$ 45 milhões
Quando se trata do Instituto Acreprevidência, as contas estão difíceis de fechar. Este ano, o Acre vai gastar R$ 617 milhões com os pagamentos de aposentadorias e pensões e no ano que vem esse gasto vai para R$ 720 milhões. Em média, 100 servidores de aposentam por mês no Estado. A arrecadação está muito longe de bancar os pagamentos.
A média é de R$ 28 milhões descontados mensalmente dos servidores, mas a folha de pagamento dos beneficiários é de R$ 45 milhões.
Essa diferença o Governo do Estado vem bancando e, para isso, retira de outros setores para injetar na Acreprevidência, que não tem reservas para bancar as pensões e aposentadorias que passam das 16 mil.
O governador Tião Viana disse que é preciso buscar alternativas para evitar que o tesouro tenha que bancar esses gastos. “Como está, a Acreprevidência não vai aguentar. Todos os meses, estamos pagando a mais R$ 25 milhões. Desse jeito, é insuportável manter as contas em dia. Precisamos buscar alternativas para melhorar a arrecadação”, concluiu.
A Previdência, para conseguir pagar aos benefícios, precisa ter um fundo de reserva. Acontece que, de 1994 a 2006, o Estado não ficou com dinheiro em caixa. 
Só a partir de 2007 é que se começou a juntar dinheiro, mas com o aumento do número de servidores se aposentando, logo acabou a reserva, e, como a arrecadação é quase a metade do valor de pagamentos a Acreprevidência precisa de ajuda urgente.
A Reforma da Previdência pode desafogar o Estado, mas vai mandar a fatura para o servidor público. Atualmente, a alíquota de desconto da previdência é de 11%, o Governo Federal pensa em ampliar para 14%. Isso traria um desconto maior ainda no salário do trabalhador.
fonte www.agazeta.net

Nenhum comentário: