Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

terça-feira, 31 de maio de 2016

MINISTROS DE TEMER ADMINISTRAM CONTRATOS DE SEUS DOADORES DE CAMPANHA

Os ministros Maurício Quintella Lessa (Transportes), Raul Jungmann (Defesa), Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho, (Integração Nacional) e Bruno Araújo (Cidades) serão responsáveis, no governo interino de Michel Temer, por contratos de empresas que doaram para suas campanhas eleitorais; só nos Transportes, a OAS e as empreiteiras Barbosa Mello e Sanches Tripoloni despejaram R$ 600 mil na campanha de Quintella; em 2016, as três empresas já receberam R$ 145,14 milhões em contratos com a Valec e o Dnit

31 DE MAIO DE 2016 ÀS 16:50

247 - Os ministros do governo interino de Michel Temer Maurício Quintella Lessa (Transportes), Raul Jungmann (Defesa), Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho, (Integração Nacional) e Bruno Araújo (Cidades) serão responsáveis por contratos de empresas que doaram para suas campanhas eleitorais.

Reportagem de Victor Gomes e André Shalders a partir de dados do Portal da Transparência e do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais de 2014 mostra que no Ministério dos Transportes, a OAS e as empreiteiras Barbosa Mello e Sanches Tripoloni despejaram R$ 600 mil na campanha ao então candidato a deputado federal Maurício Quintella Lessa (PR-AL). Em 2016, as 3 empresas já receberam R$ 145,14 milhões em contratos com a Valec e o Dnit, subordinados aos Transportes.

O atual titular da Integração Nacional, Helder Barbalho, recebeu R$ 530 mil da Queiroz Galvão em 2014. Naquele ano, ele concorreu ao cargo de governador do Pará. Hoje, Helder comanda o ministério responsável pela transposição do rio São Francisco, um dos principais projetos da construtora.

Na Defesa, Raul Jungmann (PPS-PE) recebeu ao todo R$ 384 mil da construtora Odebrecht. Em 2016, a Odebrecht já recebeu R$ 278 milhões para tocar o programa de desenvolvimento do submarino nuclear brasileiro. A pasta também possui contratos menores com outras 8 subsidiárias da empreiteira.

Já no Ministério das Cidades, o ministro Bruno Araújo (PSDB-PE) recebeu R$ 710 mil de quatro empreiteiras para sua campanha à Câmara em 2014. São elas: Odebrecht (R$ 130 mil), Queiroz Galvão (R$ 80 mil), Ética Construtora (R$ 300 mil) e Sanches Tripoloni (R$ 200 mil).

Enquanto na Educação, o titular da pastas, Mendonça Filho (DEM-PE), recebeu R$ 100 mil do frigorífico JBS para sua campanha à Câmara. Só neste ano, a empresa ganhou R$ 123 mil em um contrato com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), ligada ao MEC.
http://www.brasil247.com

Nenhum comentário: