joaoregotk@hotmail.com

domingo, 14 de maio de 2017

ANULAÇÃO CONCURSO PÚBLICO POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO ACRE

No dia 07/05/2017, foi realizado o concurso público da Polícia Civil do Estado do Acre -, conforme publicado em Edital no 01/2017.
No ato da aplicação das provas constataram-se irregularidades, tais como:
- Três candidatos autorizados a realizarem a prova em locais distindos de sua inscrição; desrespeitando o Edital 01-2017 que afirma " Não haverá aplicação de prova fora do horário , data e local  pré estabelecido" 
- O desrespeito aos lugares marcados na sala 84 da Uninorte. onde a coordenadora autorizou os alunos a mudarem de lugar e consequentemente, alunos com provas do mesmo tipo, realizarem o exame lado a lado.
Cabe salientar que ja houve a veiculação das informações em meios de comunicação social, sobre  a realização das provas em locais distintos pelos próprios candidatos, bem como a confirmação por um dos próprios candidatos que foi autorizado a realizar a prova na UNINORTE. 
Frente ao disposto, averigua-se a possibilidade dessas irregularidades graves terem se repetido em demais provas de outros cargos; fato este que justifica a anulação do concurso público como um todo.
Dessa forma, constatando-se as ocorrências citadas e o seu impacto generalizado sobre todos os candidatos deste concurso público (mais de 12 mil inscritos), reconhece-se o Ministério Público do Estado do Acre como órgão passível de se recorrer para apuração devida dos acontecimentos, bem como a participação ativa do IBADE, invocando, assim, a imperiosa necessidade de posicionamento ético que garanta a igualdade de direitos de todos os envolvidos, bem como a legitimidade do concurso público em questão.
Solicitamos que as medidas cabíveis sejam, urgentemente, tomadas e que o processo seletivo em andamento seja ANULADO para devida apuração dos fatos. Além disso, pedimos que seja estabelecida data para todos os candidatos envolvidos prestarem nova prova, sob responsabilidade de nova banca organizadora.
Este abaixo-assinado será entregue para:
Fonte: https://www.change.org

Nenhum comentário: